Diagnóstico veicular: Principais Ferramentas

Por | 1 de junho de 2017

Quais são as principais ferramentas a serem usadas em um diagnóstico veicular?

Essa é uma pergunta muito aberta, pois nos leva a uma gama grande de ferramentas. Em geral o profissional precisa de informações para fazer uma análise antes de chegar a uma conclusão a respeito do diagnóstico.

  1. A primeira informação que o reparador precisa se atentar diz respeito ao sintoma e ao histórico do problema apresentado, numa breve entrevista junto ao proprietário do veículo.
  2. O passo seguinte é se inteirar de como tudo está funcionando através de informações que podem ser adquiridas usando instrumentos de medida, tais como: termômetro infravermelho, câmara térmica, estetoscópio, manômetros, relógio comparador, detector de vazamentos, multímetro, osciloscópio, analisador de gases e scanner. Esses instrumentos de medida têm por objetivo reduzir o campo de busca da causa real do problema, e em geral são necessárias informações complementares para finalizar o diagnóstico.
  3. É nessa fase que entra o acesso a informações compiladas a respeito do veículo. Tais como manuais de reparos, diagramas elétricos, boletins de recalls das montadoras, etc.

Na Ciclo Engenharia nos especializamos na elaboração de diagramas elétricos. São informações importantes para quem faz manutenção em sistemas de injeção eletrônica, ar condicionado, transmissão automática e automatizada, abs, airbag, painel de instrumentos, iluminação, entre outros. Em fim, tudo que envolve a fiação elétrica do veículo.

Como o diagrama elétrico pode auxiliar no diagnóstico?

O Diagrama Elétrico funciona como um mapa das ligações elétricas. Um automóvel possui milhares de ligações e existem centenas de módulos no mercado. É impossível e improdutivo usar a memória para esse tipo de trabalho. Para piorar ainda mais a situação, os fios não ficam expostos, pelo contrário, ficam escondidos e estão espalhados por todo o carro.

Olhar para um mapa é um exercício de localização. Os mapas possibilitam identificar os caminhos e servem para planejarmos os nossos deslocamentos. Os diagramas elétricos funcionam exatamente da mesma forma, pois possibilitam identificar os componentes, ver como eles estão interligados e planejar as estratégias de testes a serem executados.

Só para exemplificar, com uma passada de olho rápida sobre um diagrama de controle do motor o reparador pode identificar se o modelo em questão possui sensor de fase, duas sondas lambdas uma bobina para cada cilindro, partida de frio com aquecimento de combustível, etc. É tudo muito rápido porque o diagrama responde com símbolos e não com textos. E nós na Ciclo criamos um padrão de apresentação que favorece isso.


Matérias que podem te interessar

 

Deixe uma resposta