Quais os tipos de falha são descritas em um DTC?

Por | 14 de janeiro de 2016

DTC – Diagnostic Trouble Codes segundo a Norma SAE J2012

A norma SAE J2012 de março de 2013 define o formato e descreve os códigos de falhas de uso genérico e as faixas de operação reservadas aos fabricantes de veículos. Nosso objetivo é mostrar como a norma classifica os tipos de falhas.

CATEGORIA DAS FALHAS

Os tipos de falha foram classificados em 16 categorias:

0- Falha de origem genérica;

1- Falha de origem elétrica;

2- Falha no sinal;

3- Falha na frequência, largura de pulso ou contadores;

4- Falha na memória, software e circuitos elétricos internos;

5- Falha de software, calibração e opções de configurações;

6- Falha ao comparar dois ou mais parâmetros de entrada para a garantir a consistência dos dados;

7- Falha mecânica detectada pelo retorno de sinal incoerente a um evento provocado pelo módulo de controle;

8- Falha na comunicação em rede;

9- Falha em componente

A- Reservado a SAE/ISO;

B- Reservado a SAE/ISO;

C- Reservado a SAE/ISO;

D- Reservado a SAE/ISO;

E- Reservado a SAE/ISO;

F- Reservado aos fabricantes.

SUB-CATEGORIA DAS FALHAS

Por sua vez, cada uma das categorias se subdividem em outras 16 subcategorias. Isso significa que existem 256 subcategorias (16×16). A maioria delas ainda não foram utilizadas, pois 138 estão reservadas para futuras aplicações da norma e 16 reservados aos fabricantes de veículos, o saldo, portanto, é de 102 subcategorias em vigor atualmente:

00 – Detectada falha genérica sem possibilidade de especificação

01 – Detectada falha elétrica sem possibilidade de especificação

02 – Detectada falha de sinal sem possibilidade de especificação

03 – Falha genérica no sinal FM (frequência modulada) ou PWM (largura de pulso modulada)

04 – Falha no sistema interno

05 – Falha na programação do sistema

06 – Falha no algoritmo base

07 – Detectada falha mecânica sem possibilidade de especificação

08 – Mensagem de falha no sistema de comunicação em rede

09 – Falha no componente

11 – Curto-circuito ao negativo

12 – Curto-circuito para o positivo

13 – Circuito elétrico aberto

14 – Curto-circuito ao negativo ou circuito aberto

15 – Curto-circuito para ou positivo ou circuito aberto

16 – Tensão do circuito abaixo do limite

17 – Tensão elétrica acima do limite

18 – Corrente elétrica abaixo do limite

19 – Corrente elétrica acima do limite

1A – Resistência do circuito abaixo do limite

1B – Resistência do circuito acima do limite

1C – Tensão do circuito fora da faixa

1D – Corrente elétrica fora da faixa

1E – Resistência do circuito fora da faixa

1F – Falha intermitente

21 – Amplitude do sinal abaixo do mínimo

22 – Amplitude do sinal acima do máximo

23 – Sinal constantemente em nível baixo

24 – Sinal constantemente em nível alto

25 – Falha na forma de onda do sinal

26 – Taxa de mudança de sinais abaixo do limite

27 – Taxa de mudança de sinais acima do limite

28 – Detectado erro sistemático no sinal ou falha no ajuste de zero

29 – Sinal inválido

2A – Sinal dentro da faixa, porém incompatível com as condições de operação

2B – Curto circuito entre o sinal de um componente e o sinal de seu monitor

2F – Detectado sinal momentaneamente inconsistente

31 – Sem sinal

32 – Período do sinal de baixa frequência menor do que o mínimo

33 – Período do sinal de baixa frequência maior do que o máximo

34 – Período do sinal de alta frequência menor do que o mínimo

35 – Período do sinal de alta frequência maior do que o máximo

36 – Frequência do sinal muito baixo

37 – Frequência do sinal muito alto

38 – Frequência do sinal incorreto

39 – Sinal tem poucos pulsos

3A – Sinal tem muitos pulsos

41 – Falha na soma de verificação do sinal

42 – Detectada falha na memória sem possibilidade de especificação

43 – Falha de memória especial

44 – Falha na memória de dados

45 – Falha de memória do programa

46 – Calibração do sistema com falha no parâmetro de memória

47 – Falha de segurança no microcontrolador do sistema emergencial

48 – Falha na supervisão do programa

49 – Falha no circuito interno do módulo de controle

4A – Incompatibilidade entre o componente instalado e o que era previsto ser instalado

4B – Detectada temperatura interna do módulo acima do esperado

51 – Programa de controle não foi instalado

52 – Parte do programa de controle não foi ativado

53 – Parte do programa de controle desativado

54 – Detectada perda de calibração

55 – Parte do programa de controle não foi totalmente configurado

56 – Configuração inválida ou incompatível

57 – Programa inválido ou incompatível com o módulo de controle

61 – Falha de cálculo no sinal

62 – Problema na correlação de sinais

63 – Circuito de proteção com tempo esgotado

64 – Falha no sinal de plausibilidade

65 – Sinal tem poucas transições ou eventos

66 – Sinal tem muitas transições ou eventos

67 – Sinal fora do esperado após evento criado pelo módulo de controle

68 – Detectado evento não provocado pelo módulo de controle

71 – Atuador travado

72 – Atuador travou aberto

73 – Atuador travou fechado

74 – Atuador deslizando

75 – Posição de emergência não alcançável

76 – Erro na posição de montagem

77 – Posição comandada não alcançável

78 – Alinhamento ou ajuste incorreto

79 – A ação mecânica do atuador não corresponde ao esperado

7A – Vazamento de fluido ou falha na vedação

7B – Baixo nível de fluido

81 – Recebida série de dados inválidos

82 – Contador ciclos com sequência incorreta ou não atualizado

83 – Uma mensagem foi processada com falha na soma de verificação do sinal

84 – Sinal abaixo da faixa admissível

85 – Sinal acima da faixa admissível

86 – Sinal inválido

87 – Detectada perda da mensagem. Sistemas não se comunicam

88 – Sem sistema de comunicação em rede

8F – Linha serial informa que o sinal é inconsistente, descontínuo ou com ruído

91 – Detectado que um parâmetro de componente está fora da faixa esperada.

92 – Detectado desempenho inesperado do componente ou operação incorreta

93 – Nenhuma operação detectada

94 – Operação inesperada

95 – Componente instalado incorretamente

96 – Falha interna no componente

97 – Componente ou sistema impedido de operar por obstrução ou bloqueio

98 – Componente ou sistema trabalhando acima da temperatura

9A – Componente ou sistema desativado pelas condições de funcionamento

EXEMPLO APLICADO

Se pegarmos como exemplo o sensor de temperatura da água do motor e os 11 códigos em que este componente aparece relacionado na norma temos:

P0115 – Sensor 1 TAgua – Falha elétrica no circuito

P0118 – Sensor 1 TAgua – Curto circuito ao positivo

P0119 – Sensor 1 TAgua – Falha intermitente

P0117 – Sensor 1 TAgua – Curto circuito à massa

P0116 – Sensor 1 TAgua – Falha na atuação ou trabalha fora da faixa

P011A – Sensores 1 e 2 TAgua – Problema na correlação de sinais

P2182 – Sensor 2 TAgua – Falha elétrica no circuito

P2185 – Sensor 2 TAgua – Curto circuito ao positivo

P2186 – Sensor 2 TAgua – Falha intermitente ou ruído no sinal

P2184 – Sensor 2 TAgua – Curto circuito à massa

P2183 – Sensor 2 TAgua – Falha na atuação ou trabalha fora da faixa

Trata-se de um sensor simples e basicamente a norma prevê busca por falhas de origem elétrica relacionadas a ele. No máximo em caso de haver 2 sensores, existe a previsão de usar um para checar a qualidade do sinal do outro. No entanto, a norma está antevendo uma situação onde as unidades de controle tenham uma capacidade de diagnóstico de falha muito superior à atual.

[divide]

banners-1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.