Tag Archives: ciclo engenharia

Componentes: 9 vídeos curtos para aprender a testá-los

Praticamente todos os sensores de temperatura dos sistemas automotivos de todas as montadoras de veículos utilizam uma resistência NTC (do inglês Coeficiente Negativo de Temperatura) para medir temperatura. Isso significa que se o sistema estiver alimentado eletricamente deverá existir um sinal de tensão elétrica nos terminais desse sensor indicando que ele está medindo alguma temperatura.… Ler mais »

Ar Condicionado Automotivo I

1 – INTRODUÇÃO A maioria das unidades de condicionamento de ar está associada a aplicações de conforto. Sistemas para resfriamento de ar durante o verão tornaram-se obrigatórios em edifícios de grande porte no mundo inteiro, mesmo em regiões em que as temperaturas não são elevadas. Edifícios são resfriados para compensar o calor gerado pôr pessoas,… Ler mais »

Diagrama Elétrico Comentado II: GM Corsa

Nesta segunda entrega abordamos a montadora GM-Chevrolet, com o veículo Corsa 1.8 Flex com injeção eletrônica Delphi Multec H. A central está localizada no vão do motor e conta com dois conectores que totalizam 6 terminais de contato, um preto (denominado A) e outro cinza (denominado B). Alimentação A central está aterrada na própria carcaça e… Ler mais »

Injeção Eletrônica I

Os sistemas de injeção eletrônica e ignição digital, desde que foram lançados primeiramente no Gol GTI, substituíram neste curtíssimo espaço de tempo o carburador e a distribuição convencional. Para iniciar, em primeiro lugar é preciso entender ‘o por que’ e ‘o que’ mudou com a injeção eletrônica e a ignição digital. Os motores do ciclo otto… Ler mais »

Medição de vazão utilizando ultrassom e Princípio de Vortex

Em 1911, Theodore von Karman mostra que existe uma relação matemática na formação de duas linhas de vórtices num escoamento após um obstáculo. A avenida de vórtices de von Karman, ou a esteira de von Karman. Inicialmente um par de vórtices se forma no descolamento do obstáculo. Estes vórtices agem como “rolamentos aerodinâmicos”, sobre os quais… Ler mais »

Efeito Piezoelétrico

Em 1880, os irmãos Pierre e Jacques Curie estudando as propriedades de cristais de quartzo e turmalina, descrevem o efeito piezoelétrico (grego: piezein = comprimir), onde quando se promovia a compressão mecânica destes cristais, ocorria polarização e descarga elétrica. Resumidamente estes cristais possuem a propriedade de gerar uma pequena diferença de potencial elétrico quando comprimidos.… Ler mais »

Dica Técnica / Volkswagen Fox: Luz da injeção acesa e registro do código 17745 ou P1337

Marca: Volkswagen Modelo: Fox Motor: EA111 1.0 Ano: 2007 Combustível: Flex Sistema: Injeção Fabricante: Magneti Marelli Versão: IAW 4BV [divide] Problema: Luz da injeção acesa e registro do código 17745 ou P1337 – Sensor de posição da árvore de cames, Banco 1 , curto-circuito para à massa. Histórico do Problema: Correia no ponto tudo certo. Acusava curto circuito… Ler mais »

Dica Técnica / GM-Chevrolet Meriva: Travando o A/F (air/fuel), relação ar combustível permanece sempre na relação para o combustível álcool

Marca: GM Modelo: Meriva Motor: 1.8 Combustível: Flex Sistema: Injeção Fabricante: Delphi Versão: HSFI 2.3 Problema: Travando o A/F (air/fuel), relação ar combustível, permanece sempre na relação para o combustível álcool. Retorno do Scanner: A/F sempre voltava para a proporção combustível álcool (em torno de 8,3/1) Histórico do Problema: O tempo de injeção ficava alto. A/F sempre voltava para… Ler mais »

Dica Técnica / Toyota Hilux: Luz da injeção acesa, potência do motor limitada – DTC P0088

Marca: Toyota Modelo: Hilux Motor: 3.0 1KD-FTV e 2.5 2KD-FTV Combustível: Diesel Sistema: Injeção Diesel Fabricante: Denso [divide] Problema: Luz da injeção acesa, potência do motor limitada Retorno do Scanner: DTC P0088 – Pressão interna do common rail excessivamente alta Histórico do Problema: Esse código de defeito é armazenado quando a pressão interna do tubo rail atinge um… Ler mais »

Sobre a Combustão

O processo de combustão exige a presença de um combustível e de um comburente. Os combustíveis podem ser classificados convenientemente em: 1 – sólidos. Ex.: carvão 2 – líquidos. Ex.: hidrocarbonetos (CxHy) e os álcoois (CxHyOz), onde os índices x, y e z podem ter muitos valores diferentes. 3 – gasosos. Ex.: gás natural O… Ler mais »